terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Reflexões

Por mais lindo que o sol esteja eu vejo o dia feio e sem vida.
Quando o barulho que a chuva faz caindo no chão chega aos meus ouvidos, é como se fosse um purificador de almas.
Eu tenho medo do que eu posso encontrar além da porta da minha casa, mas eu também tenho medo de perder o melhor da vida com medo de experimentá-lo.
Ás vezes acho que a vida é tão injusta comigo, mas vejo que tem pessoas que estão sofrendo muito mais do que eu e estão felizes.
Não gosto de fazer sempre o que é certo, não tenho gostos iguais aos do outros.
Ser diferente pra mim, é ser comum.
Não consigo imaginar ao certo o que estarei fazendo daqui á alguns anos, acho a vida tão incerta, tão fria e dura.
Tem dias que vivo num imaginário só meu, ás vezes esse 'imaginário' me deixa triste, porque ele só existe nos meus sonhos e não na vida real?
Coisas como ouvir a música da banda que eu amo, ou ver a pessoa que eu mais amo fazem de mim o ser mais besta do mundo.
É incrível como pessoas mesmo não sabendo que eu existo me fazem tão feliz, é incrível como uma pessoa que vive por mim e que eu vivo por ela me faz bem, me faz ter vontade de viver.
A banda mais amada e a mãe mais amada, eles fazem meu dia mais feliz apesar de tudo que tenta deixá-lo mais triste.

1 comentários:

Yokohama disse...

Texto lindo! Às vezes me sinto assim também...